Comprometer-se é ousar

image

O amadurecimento da pessoa passa, necessariamente, pela capacidade de assumir compromissos. Comprometer-se é escolher, envolver-se, responsabilizar-se. Comprometer-se é arriscar. No compromisso assumido está a vida da pessoa, isto é, a pessoa na sua inteireza. O compromisso é sempre uma “faca de dois gumes”. Pode ser positivo ou negativo, benéfico ou maléfico. A pessoa pode se comprometer com a vida, ou atentar contra ela. Poderá viver na intensa busca pela felicidade ou viver na passividade, resignação, ou, ainda, se comprometer com valores éticos ou com a criminalidade hedionda.

Estamos numa mudança de época. Toda mudança vem carregada de possibilidades e, também, de limites. Infelizmente, por fruto da cultura individualista e egoísta em que estamos mergulhados, comprometer-se é perda tempo. No entanto, é verdade também que o não comprometer-se revela o medo de não assumir as conseqüências dos próprios atos. O compromisso exige a pessoa por inteiro. O medo de entregar-se por uma causa justa faz com que, cada vez mais, as pessoas tenham dificuldade de assumir compromissos a longo prazo. Quando não se tem a intenção de assumir um compromisso real, tudo se deturpa e nascem os interesses individualistas. Surgem os que querem tirar vantagem em todas as circunstâncias, os que não se fixam em realidade alguma e vivem se “adaptando” a qualquer situação.

O compromisso não sobrevive na pessoa desprovida de esperança. Comprometer-se hoje, e desistir amanhã, é veleidade. O compromisso é criador. Quem se compromete sempre se realiza e promove realizações. O compromisso exige o “amor criativo” por aquilo que se assume. Compromisso exige duas companhias fundamentais: comunhão e participação. É precisa conjugar os verbos “estar” e “ser” junto com os outros e com aquilo que se assume. O compromisso projeta a pessoa para algo novo, que ainda não foi realizado. O compromisso assumido, muitas vezes, pode ter um sabor amargo pelas dificuldades que se apresentam, mas ele não poderá ser rejeitado. Quem se compromete se predispõem a viver com mais alegria. O risco assumido precisa ser entendido como possibilidade de realização. Assumir um compromisso é abraçar prioridades. Assume-se porque se opta por um valor de grande significado. Quem tem consciência amadurecida não irá comprometer-se com mesquinharias. O compromisso revela a escala de valores que são adotados pelas pessoas.

O medo de comprometer-se é, no fundo, o medo de revelar-se. Pelo compromisso assumido, a pessoa revela quem ela é, de que lado está, a quem oferece apoio, rejeita, no que acredita, o que valoriza. No compromisso assumido uma pessoa permite-se conhecer e ser conhecida.

● O que nos leva a nos comprometer com alguém ou com alguma coisa?
● O que nos leva a iniciar e terminar uma atividade?
● A buscar a cada dia uma forma melhor de fazer as coisas?
● A assumir a responsabilidade quando um erro aparece?
● A cumprir aquilo que nos propomos a fazer?

Nada mais e nada menos do que o nosso COMPROMETIMENTO!

“Os seres humanos são animais que fazem promessas.”
Friedrich Nietzsche

Com o que ou com quem estamos realmente comprometidos?

Antes de continuar a ler esse texto, peço que cada um reflita e busque responder a pergunta acima. Tentar responder pode ser fácil, pode ser difícil, pode ser complexo ou pode fazer com que não queira mais ler mais o texto. Independente disso, o importante é você saber com o que ou com quem está comprometido realmente. Meu questionamento se faz pelo fato de perceber que cada vez mais há um distanciamento entre as pessoas. Existe uma dificuldade crescente em encontrar pessoas comprometidas com algo ou alguma coisa voltada para o comum. Já ouvi algumas respostas que me fizeram pensar mais ainda sobre essa falta de comprometimento.

Grau de compromisso

Você têm uma causa comum com o seu parceiro?

Quando você se propõe a fazer algo para você mesmo você cumpre?

Desta forma é que avaliamos o nosso grau de compromisso com os outros e com nós mesmos.

Estar comprometido com um resultado nos ajuda a manter a calma diante das adversidades e obstáculos que nos cercam. Estar comprometido com uma meta nos ajuda a superar perdas ocasionais de motivação.

Mas quais são os fatores que determinam o comprometimento?

5 condições básicas para que ocorra o comprometimento, em qualquer tipo de relação:

Admiração
Respeito
Confiança
Paixão
Intimidade

Isso significa que só ficamos ao lado de alguém que admiramos, e da admiração surge o respeito, que gera a confiança e a paixão e com todos estes ingredientes juntos queremos continuar convivendo com esta pessoa e sendo íntimos. Resumindo, é a soma destes fatores que sustenta uma relação, seja ela profissional ou pessoal.

À medida que assumimos e mantemos nossos compromissos, mesmo os pequenos, fortalecemos a nossa integridade e nos tornamos cada vez mais eficiente. Quando digo integridade quero dizer uma pessoa que tem harmonia entre discurso e prática. Faz exatamente aquilo que diz que vai fazer. Parece simples? Na verdade é, mas não quer dizer que seja fácil.

Para que eu tenha harmonia entre discurso e prática eu preciso de: flexibilidade, iniciativa, disciplina, coragem, dedicação e criatividade.

Sem atalhos

Vale lembrar que não existe atalho para o desenvolvimento, para progredirmos precisamos de ação, dedicação e aprendizado. Antes de mais nada precisamos identificar o que podemos melhorar. Feito a escolha precisamos estabelecer metas e nos mantermos fiéis a elas. Saber que somos responsáveis (responsabilidade = habilidade para responder) por concretizá-las e em cada pequena ação que realizo daquilo que me comprometi, aumenta minha eficiência.

Como favorecer o compromisso com a meta:

● Relacione com seus valores e propósito de vida. Por que ela é tão importante para você? O que você vai ganhar com isso?

● Estabeleça as ações para alcançar as suas metas.
● Minimize os obstáculos criando planos A, B e C.
● Monitore os progressos.
● Realize os ajustes necessários.

Não vou entrar no mérito de dizer o que é certo ou o que é errado, apenas peço que reflitam se estão comprometidos e satisfeitos com o que estão fazendo hoje em suas vidas.

Para você mudar e melhorar algo, comece com as coisas que existem dentro de você mesmo. As verdadeiras mudanças começam no coração, são organizadas na cabeça e feitas pelas mãos. Se quiser ser diferente, a melhor forma é fazendo parte do comum, onde vai perceber que não existe ninguém igual a você.

Quem sabe é chegada a hora de cada um se comprometer com uma causa nobre e justa. Os constantes desafios e os grandes riscos são companhias inseparáveis de quem ousa se comprometer. Mas, o que será da vida sem a ousadia de se comprometer por aquilo que dignifica a vida da pessoa, e devolve a esperança ao mundo?

Agora é com você!

Juliana Coutinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s